Sem drenagem, moradores de Blumenau sofrem com as chuvas

As canaletas improvisadas na entrada das casas situadas no fim da Rua Matsubara, no Testo Salto, em Blumenau, são indicativos de um dos problema enfrentados pelos moradores. Sem drenagem pluvial no último trecho da estrada, cada um tenta encontrar uma saída para evitar que a casa alague em dias de chuva forte.

Altamir dos Santos tem nas mãos um protocolo feito na Ouvidoria da prefeitura em 2013, quando começou a reivindicar a expansão da rede de drenagem. Segundo ele, até hoje sem retorno. O problema, porém, não é desconhecido das autoridades. O morador conta que equipes da Secretaria de Defesa do Cidadão já estiveram no local.

O motivo seria uma análise em terrenos que estão sofrendo deslizamentos causados pela falta de tubulação. Como a água da chuva não é captada por uma rede de drenagem, corre por um barranco e atinge imóveis da Rua Christiano Karsten. Uma dessas residências é de Maria Leoni, que tem um protocolo também de 2013 junto à Ouvidoria. Em um vídeo, ela mostra a situação.

Nas imagens não estão os muros que já perdi um em 2008, que foi muito bem feito, mas não aguentou pela pressão da terra encharcada água da Rua Matsubara que sempre veio para cá – lamenta a moradora.Enquanto a situação não é resolvida, fica a indignação da comunidade:

A gente não paga barato de IPTU para isso estar assim – fala Altamir ao mostrar ainda a tubulação do Samae está exposta em virtude da força da água levar o barro junto e a estrada sem manutenção.

Foto: Talita Catie

Contraponto

Por meio da assessoria de imprensa, a prefeitura de Blumenau informou que uma avaliação preliminar “apontou a necessidade de um grande aporte de recursos para a viabilização do sistema de drenagem no local. Na próxima semana, a Secretaria de Conservação e Manutenção Urbana enviará novamente técnicos para aprofundar os estudos e verificar possíveis alternativas viáveis para equacionar os problemas relatados pela comunidade. Além disso, em atenção a um pedido feito por moradores da via, por meio da Ouvidoria da Prefeitura, a Defesa Civil também está programando uma vistoria para avaliar a área”.

 

Fonte: nsc/Por Talita Catie | Foto: Talita Catie

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário