Quatro irmãs de Lages são adotadas por dois casais de americanos

Elas têm cinco, sete, nove e 15 anos, e, a partir de agora, uma nova vida. As quatro irmãs lageanas passaram por processo de destituição familiar e após algum tempo de espera, foram adotadas por duas famílias norte-americanas.

O processo tramitou na Vara da Infância e Juventude da Comarca de Lages. Um caso raro na cidade, uma vez que foi possível manter o vínculo entre elas e houve a adoção de uma adolescente. Na maioria das vezes, os casais buscam por crianças recém-nascidas, com até cinco anos de idade, meninas e sem irmãos.

Na chamada adoção casada ou compartilhada existe o compromisso de manter a relação entre os irmãos. Um dos casais ficou com a mais nova e a adolescente. A outra família, com as duas meninas do meio. Lá, eles devem possibilitar que elas convivam de alguma forma, seja mantendo contato por telefônico, troca de mensagens ou em encontros presenciais.

A assistente social Sumaya Dabbous e a psicóloga Rafaela Marques integraram a equipe que cuidou da ação. Sumaya conheceu as meninas há pouco mais de dois anos em situação de vulnerabilidade.

A justiça determinou que todas fossem atendidas pelo serviço de acolhimento institucional, no abrigo municipal, gerenciado por uma equipe especializada da Secretaria de Assistência Social de Lages.

“Como a ideia é sempre manter os irmão juntos, fizemos a busca por pretendentes que aceitassem, principalmente, a adolescente. Não havendo habilitados no Brasil, pedimos a ajuda da CEJA”, conta.

 

Fonte: Notisul

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário