Protesto de caminhoneiros suspendeu 2 mil cirurgias eletivas em Santa Catarina

A maioria dos hospitais privados e filantrópicos de Santa Catarina que tiveram cirurgias eletivas (as agendadas) suspensas retomou as marcações. Os agendamentos começaram a ser feitos nesta segunda-feira e dentro de 72 horas a situação deve ser normalizada.

De acordo com Hilário Dalmann, presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina, cerca de duas mil cirurgias precisaram ser remarcadas por conta do protesto de caminhoneiros.

A manifestação impediu a chegada de materiais cirúrgicos e remédios, por isso os procedimentos precisaram ser adiados.

– Cerca de 90% dos hospitais de Santa Catarina já estão abastecidos e estão realizando a remarcação. Ainda há problemas pontuais, como em Xanxerê e Caçador, no Oeste, mas os centros médicos garantem que até quarta-feira o serviço deverá ser normalizado – disse o Dalmann.

Nos hospitais estaduais a Secretaria de Saúde informou que ainda está em processo de retomada gradual das cirurgias eletivas.  A pasta não informou quantas cirurgias foram canceladas durante o período de paralisação dos caminhoneiros.

“A Secretaria de Estado de Saúde informa que está avaliando com os diretores dos setores responsáveis todos os procedimentos necessários para o reagendamento das cirurgias eletivas, que acabaram suspensas durante o período da paralisação dos caminhoneiros. A nova data de realização destes procedimentos deve ser informada diretamente aos pacientes, dentro do menor prazo possível”, informou a secretaria, por meio de nota.

As entidades ligadas a Associação e Federação dos Hospitais e Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos atualizaram as informações sobre a situação dos hospitais privados e filantrópicos em Santa Catarina.

O balanço corresponde a situação no fim de semana. Confira como estão se recuperando alguns centros médicos do estado:

O Hospital Santa Teresinha em Braço do Norte está atendendo normalmente as urgências e emergências.  A unidade está à espera do recebimento de medicamentos e insumos. As cirurgias eletivas estão suspensas e devem ser remarcadas esta semana.

Associação Hospitalar Padre João Berthier de São Carlos, recebeu materiais e medicamentos ontem, através da transportadora.

Em Xanxerê, o Hospital Regional São Paulo está com procedimentos eletivos suspensos e o corpo médico deve avaliar a situação hoje para então definir quando operará  normalmente.

No Hospital Teresinha Gaio Basso em São Miguel do Oeste a situação está se regularizando. A unidade buscou, na quinta-feira da semana passada, em Chapecó alguns itens despachados de Florianópolis.

O Hospital Rio Negrinho, a partir desta segunda-feira, começou a reagendar os procedimentos suspensos. A unidade está recebendo medicamentos e outros insumos, voltando aos poucos à normalidade.

Em Mafra, o Hospital São Vicente de Paulo continua com as cirurgias eletivas suspensas  e deve reavaliar a situação nesta segunda-feira.  A unidade está atendendo normalmente as urgências e emergências e pacientes internados sem falta de insumos.

O Hospital São José de Jaraguá do Sul deve retomar o agendamento de cirurgias eletivas nesta segunda-feira. O atendimento de urgências e emergências está normal e não há falta de medicamentos.

Em Imbituba, o Hospital São Camilo está trabalhando normalmente sem falta de insumos.

O Hospital de Pinhalzinho está com as cirurgias eletivas suspensas, aguardando a chegada de medicamentos para se posicionar.

O Hospital Regional de Biguaçu, na Grande Florianópolis, retornará com as cirurgias eletivas nesta segunda-feira.

Em Itajaí, o Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen suspendeu as cirurgias eletivas da segunda-feira, e fará o reagendamento no decorrer da semana.

O Hospital Regional de Palmitos cancelou as cirurgias eletivas, e não tem previsão de retomada.

Em Joaçaba, o Hospital Universitário Santa Terezinha  suspendeu as cirurgias eletivas que seriam feitas até esta segunda-feira. Alguns exames que usam insumos específicos também foram suspenso.

Os medicamentos foram repostos, porém a equipe se preocupa com a reposição e entrega de medicamentos de oncologia para voltar a operar normalmente.

Fonte: DC | Foto: Salmo Duarte

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário