Produtores de trigo iniciam plantio com alta nos preços

Aumento de 10% no valor pago pelo grão animou os agricultores catarinenses. Cenário internacional deve garantir safra com rentabilidade acima da média.

Com o fim da colheita de milho e de soja, agricultores catarinenses se preparam para iniciar a plantação de trigo nos próximos dias referente à safra 2018.

A expectativa no campo é de que o grão atinja uma rentabilidade acima da média neste ano, já que o preço está valorizado desde maio no mercado internacional.

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca estima que a área plantada em Santa Catarina seja 10% maior para esta safra.

Cerca de 5% da área destinada para o plantio de trigo já foi semeada. Em 2018, essa cultura deve ocupar mais de 58 mil hectares no Estado, contra 53 mil da safra passada.

O setor espera um aumento de produtividade de 2%, com média de 2.472 kg/hectare, o que significa uma produção final próxima de 144 mil toneladas do grão.

Os preços médios recebidos pelos agricultores produtores de trigo subiram cerca de 10% em junho, ficando em R$ 39,12/saca de 60kg, contra R$ 35,63 pagos em maio. Na comparação com o ano passado, os preços estão 17,6% maiores em termos nominais.

O cenário internacional é o principal fator de valorização do preço. No Hemisfério Norte, condições climáticas adversas prejudicaram muito a qualidade da produção, que refletirá em menor oferta no mercado mundial.

A Argentina terá aumento de quase 7% na colheita, mas não será suficiente para baixar o preço no mercado interno brasileiro.

Nos Estados Unidos, o Departamento de Agricultura informou que haverá quebra de produção no grão. Segundo o órgão, 37% da safra é considerada ruim ou muito ruim, 30% é regular e apenas 33% está classificada como bom ou excelente.

A qualidade da plantação está tão afetada em alguns estados que produtores preferiram abandonar a colheita e cortar as mudas para agilizar plantio de feno.

A Rússia deve ter uma queda de produção de 15%. Segundo estimativas do setor, passará de 85 milhões de toneladas na safra passada para 72 milhões em 2018. A principal causa é a falta de umidade, principalmente na região sul do país.

A área plantada pelos russos foi praticamente igual à praticada no ano passado e a colheita deve iniciar no final de agosto.

No Brasil, o aumento de área plantada será de 4,2%, segundo a Conab. Em 2018, cerca de 2 milhões de hectares serão cultivados com trigo, sendo metade em solo paranaense.

A expectativa é de que sejam colhidas 4,9 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 14% em relação à safra anterior. Também é esperado aumento de 9,7% na produtividade.

Fonte: RCN | Foto: Divulgação

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário