Prefeitura de Gaspar quer captar mais R$ 100 milhões para obras de infraestrutura

A prefeitura de Gaspar pretende investir R$ 100 milhões em obras de infraestrutura no município. Para isso, precisa que a Câmara de Vereadores aprove dois projetos de lei, já em tramitação, que vão permitir à administração realizar operações de crédito junto ao Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE), no valor de R$ 40 milhões, e de R$ 60 milhões por intermédio do Fundo Nacional de Infraestrutura e Saneamento (Finisa), que é um programa de fomento da Caixa Econômica Federal. A equipe técnica da prefeitura já esteve no legislativo municipal para explicar aos vereadores o objetivo das linhas de crédito e como serão feitos os pagamentos.

Segundo o prefeito Kleber Wan-Dall, embora os valores sejam elevados, o dinheiro não será todo liberado de uma vez. “Na medida que as obras forem acontecendo é que as instituições financeiras liberam os recursos”, explica. A prefeitura projeta aplicar os R$ 100 milhões num prazo de quatro a cinco anos. No total, mais de 50 obras de infraestrutura serão e incluídas no pacote. proporcionando uma melhora significativa na mobilidade urbana na cidade. Entre as obras elencadas pela administração estão aquelas que fazem parte do Plano Viário e do Anel de Contorno Viário Urbano, como a ligação entre os bairros Gasparinho e Santa Terezinha, a reurbanização do trecho entre as ruas Nereu Ramos e Anfilóquio Nunes Pires e a construção de uma via alternativa, paralela à Avenida Frei Godofredo até a entrada do Gaspar Mirim e incluindo o projeto de um parque de lazer nos moldes do Ramiro Rudiger, de Blumenau.

Wan-Dall argumenta que quando mais obras de urbanização foram feitas menos custos terá a prefeitura na manutenção de vias. “A prefeitura gasta hoje em torno de R$ 8 milhões por ano em colocação de macadame, patrolamento e caminhão-pipa em ruas que não são pavimentadas”, revela.

O diretor de Convênios, Jorge Pereira, tranquiliza com relação à capacidade de endividamento do município, tendo sido esse um dos questionamentos dos vereadores. Segundo ele, de acordo com a Secretaria do Tesouro Nacional, Gaspar pode hoje contrair empréstimos em um teto máximo de R$ 209 milhões, valor calculado em cima do porcentual limite de 16% da arrecadação. “Esse é o teto prudencial, mas é bom lembrar que a arrecadação oscila”, alerta. Jorge reforça ainda que a prefeitura somente começa a pagar os financiamentos a partir do momento que a obra é executada, antes disso existem apenas duas linhas de crédito, de R$ 40 e 60 milhões, pré-aprovadas”, observa.

Outros financiamentos

A prefeitura de Gaspar possui hoje três empréstimos já contraídos junto de instituições financeiras do país. Um deles, no valor de mais de R$ 26 milhões, foi feito ainda no governo anterior, por meio do programa federal Pró-vias, contemplando as obras de urbanização e revitalização das ruas Bonifácio Haendchen, Madre Paulina, Carlos Roberto Schramm, Arthur Poffo e Pedro Schmitt Junior. Apenas as duas últimas tiveram os trabalhos concluídos. Já a atual administração contraiu mais dois empréstimos. O primeiro de R$ 12 milhões para o início das obras de revitalização das avenidas Francisco Mastella e Frei Godofredo e outro de R$ 10 milhões para a pavimentação das ruas Barão do Rio Branco e Frei Solano.

 

Fonte: Jornal Metas | Foto: Arquivo/JM

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário