Polícia prende suspeitos pelo assassinato da vereadora Marielle Franco

Policiais da Divisão de Homicídios e promotores do Ministério Público (MP) estadual do Rio de Janeiro prenderam, na madrugada desta terça-feira, 12 de março, um ex-PM e um policial militar tidos como suspeitos pelos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. As informações são do portal G1.

A ação foi feita com equipes reduzidas para evitar chamar atenção. Às 5h, já eram cumpridos mandados de prisão em endereços dos suspeitos.

Os detidos são o policial militar reformado Ronnie Lessa, 48 anos, apontado pelas investigações como o suspeito responsável por atirar contra a vereadora. Segundo o portal G1, um segundo suspeito seria o policial militar reformado Élcio Vieira de Queiroz, 36. Ele estaria no carro quando os tiros contra a vereadora foram disparados.

Segundo o jornal O Globo, o policial Lessa foi preso em sua casa, no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca, zona oeste. O local é o mesmo que o presidente Jair Bolsonaro tem casa. De acordo ainda com o jornal carioca, Lessa entrou na lista de suspeitos após ser vítima de uma emboscada, em 28 de abril, trinta dias depois do assassinato da vereadora. Há a suspeita de “queima de arquivo”.

Buscas em pelo menos outros 34 endereços de outros suspeitos devem ser realizadas no Rio de Janeiro ao longo desta terça-feira.

Um ano da morte de Marielle e Anderson

Anderson Gomes levava a vereadora Marielle e uma assessora de um evento da Lapa, centro, para a Tijuca, zona norte, no Rio. No meio do caminho, em uma região do centro conhecida como Cidade Nova, um carro emparelhou com a do vereadora e uma pessoa disparou, segundo a polícia, uma arma automática.

Os crimes contra Marielle e Anderson completam um ano nesta quinta-feira, dia 14.

 

Fonte: nsc/Por GaúchaZH e Folhapress | Foto: Ângela Bastos

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário