Oficinas de música promovem interação entre crianças com autismo em Itajaí

Pequenos baldes, varetas, palitos, borrachas e outros materiais ganham nova função, todas as quartas-feiras, na Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Itajaí. Os objetos são transformados em instrumentos musicais utilizados por um grupo de crianças com transtorno do espectro do autismo do Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual (CER II), da universidade.

As crianças participam de oficinas de música gratuitas no Projeto Percussão e Educação Musical ministradas pelo Grupo de Percussão de Itajaí (GPI). Atualmente participam das oficinas oito meninos e uma menina.

“A iniciativa começou em 2016 e as oficinas são divididas entre momentos de apreciação, socialização e de prática musical, com instrumentos musicais de percussão e alternativos, ou seja, objetos sonoros do cotidiano”, destaca o professor e coordenador dos cursos de música, Rodrigo Gudin Paiva, um dos idealizadores junto com bolsistas do projeto, e com a médica neuropediatra Cristina Maria Pozzi.

Rodrigo explica que o objetivo da iniciativa é desenvolver capacidades sociocomunicativas, cognitivas, motoras, musicais e culturais de crianças com autismo. Para isso as oficinas abordam habilidades como a linguagem, o movimento e a socialização, em crianças que apresentam prejuízos nestas áreas.

“A abordagem respeita as particularidades de cada um, com a participação dos familiares, professores, alunos e terapeutas. A proposta é de um trabalho duradouro, envolvendo a música e todos os seus desdobramentos. Acreditamos que o trabalho contribui para o treino de habilidades e comportamentos adequados”, explica.

Quem pode participar do projeto?

Podem participar das oficinas crianças com diagnóstico do transtorno do espectro do autismo, níveis leve a moderado, entre 6 e 13 anos de idade. Os encontros são na sala 202 do bloco D8, na Univali, Campus Itajaí. Eles acontecem sempre as quartas-feiras, entre 17h45 e 19h.

Os pais interessados em matricular os filhos para participar das oficinas podem procurar a coordenação do projeto para uma avaliação médica.

“Os pais podem nos visitar e acompanhar uma atividade para conhecer de perto a proposta. Queremos deixar claro que todos são bem-vindos, mas é importante que os pais e a nossa equipe conheçam o objetivo, condições, limitações e realidade do grupo e de cada indivíduo, para tomada de decisão”, orienta.

Música sobre o autismo

“Não se desculpe meu senhor, não se ofenda minha senhora. Não é vergonha ser autista, vim contar a minha história”, este é um trecho da música “Não faz mal pro Brasil”, composta pelo grupo.

Segundo Rodrigo, a canção foi gravada em estúdio, no dia 22 de agosto, durante a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla. A expectativa é de que o trabalho seja lançado em outubro.

Serviço

Projeto de extensão do Curso de Música da Univali – Itajaí

  • Início das atividades: março de 2016
  • Contato: musica@univali.br
  • Telefone: (47) 3341-7990

 

Fonte: Portal G1 | Foto: Mayara Mattar

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário