Nota do IDEB de Rio do Sul sobe para os anos iniciais e finais

Unidade do bairro Bremer apresenta o maior índice entre as escolas avaliadas na cidade

O ensino municipal de Rio do Sul aumentou sua nota no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), divulgado na segunda-feira pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (INEP).

Através de prova aplicada no ano passado, a chamada “Prova Brasil”, estudantes do 5º ano (séries iniciais) e 9º ano (séries finais) do ensino fundamental tiveram avaliados os seus desempenhos em questões de língua portuguesa, com foco em leitura, e matemática, com foco na resolução de problemas.

A média para as séries iniciais foi de 6.0, atingindo a meta proposta pelo INEP. No teste aplicado em 2015, a nota era de 5.7. Para séries finais, Rio do Sul também melhorou a nota, passando de 4.4 para 4.7 no exame de 2017. Entretanto, o município não atingiu a meta de 5.4.

As escolas do município de Rio do Sul com melhor desempenho foram o C.E. Ulrich Hubsch, no bairro Bremer (nota 7.1), e o C.E. Aníbal de Barba, no Canta Galo (nota 6.1), para os anos iniciais.

Entre as escolas dos anos finais, o melhor desempenho é do C.E. Pedro dos Santos, do bairro Canoas, com média 4.8.

Algumas escolas estaduais e também privadas de Rio do Sul também realizaram a avaliação. O C.E. Ulrich Hubsch é a que apresenta a maior nota entre todas as escolas da cidade que fizeram a prova.

Para a secretária de Educação, Janara Mafra, o aumento nas notas mostra-se satisfatório, já que a maioria das escolas teve melhor desempenho ou vem se recuperando depois de alguns resultados de queda nos exames anteriores.

“O resultado é fruto de muito trabalho e de um processo educacional contínuo. Educação não é apenas lápis, caderno e livros. É a família, professores, sociedade, gestão, política pública, investimentos e projetos diferenciais e incentivos. E em todas estas áreas estamos trabalhando para melhorar. Nossos professores fazem ótimo trabalho e contribuem para a formação de nossas crianças todos os dias”, relata Janara.

Já o prefeito José Thomé também demonstrou alegria pelo resultado do IDEB, mas destaca que espera mais para a próxima prova, que será em 2019.

“Esta é a principal ferramenta para avaliarmos como está a nossa educação, como estarão preparadas as nossas crianças e jovens para o ensino médio e eventualmente o ensino superior. Temos muito ainda a fazer, pois esta é uma cobrança de nossa sociedade”, explica Thomé.

De acordo com o INEP, O IDEB agrega ao enfoque pedagógico dos resultados das avaliações em larga escala a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas.

O índice também é importante por ser condutor de política pública em prol da qualidade da educação.

É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE) para a educação básica, que tem estabelecido, como meta, que em 2022 o IDEB do Brasil seja 6,0 – média que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável a dos países desenvolvidos.

Algumas propostas da Secretaria de Educação para a melhoria do IDEB

1. Aplicação de avaliação interna com base nas provas do SAEB (Prova Brasil). em 2017 foram realizadas com 5º e 9º anos e em 2018 com todas as turmas;

2. Apoio pedagógico nos anos iniciais através dos professores volantes;

3. Rodas de conversa com professores dos 5º e 9º anos, salientando o formato das avaliações;

4. Formação pedagógica:

5. Construção do currículo integrado elaborado pelos professores da rede;

6. Formação por área – Práxis Educacional;

7. Unificação dos critérios de avaliação, através de sistema on-line, contendo os registros de recuperação paralela;

8. Planejamento unificado com base na BNCC, com sistemática on-line, sendo obrigatório o lançamento tanto do planejamento (conteúdos, direitos de aprendizagem, estratégias didáticas) quanto das avaliações;

9. Efetivação do trabalho pedagógico através das assessorias com o pedagogo;

10. Intensificação do trabalho pedagógico na educação infantil;

11. ProAge – Programa de Aperfeiçoamento em Gestão Escolar com encontros formativos semanais discutindo a Gestão Administrativo/financeiro, Gestão de Pessoas e Gestão Pedagógica;

12. Programas e Projetos – incentivo à participação em Mostras, Feiras, Projetos externos. Foram 25 trabalhos inscritos na Feira Regional de Matemática este ano com indicações à feira estadual. Este é um número histórico. No passado apenas 13 foram inscritos. Tivemos uma premiação nacional, com ida de aluna e professora da educação infantil ao Acre.

13. NAEE – Núcleo de Atendimento Educacional especializado – Psicólogas, fonoaudiólogas, assistentes sociais, psicopedagoga que prestarão atendimento clínico em crianças dos anos iniciais com transtornos, déficits e que não possuem laudos diagnósticos;

14. Estrutura Físcia;

15. Equipamentos e mobiliários;

16. Alimentação escolar de qualidades;

17. Transporte escolar seguro;

18. Projeto de Meritocracia

Fonte: Prefeitura de Rio do Sul/Clóvis Eduardo Cuco | Foto: Divulgação

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário