Idosa abandonada em Brusque segue com família acolhedora mesmo após decisão judicial

Haverá audiência no dia 26 sobre o caso. Mulher de 64 anos foi abandonada em frente a asilo em Brusque em 11 de julho.

A idosa que foi abandonada em frente a um asilo em Brusque, no Vale do Itajaí, continua nesta segunda-feira, dia 23 de julho, com a família de uma conhecida que a acolheu após o episódio.

A informação é do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) de Tijucas, na Grande Florianópolis, cidade onde a idosa morava com o sobrinho e a esposa dele.

A vítima foi abandonada pelos dois na noite de 11 de julho em frente a um asilo particular.

Imagens de câmera de segurança mostram um carro indo embora e ela ficando na porta do local sozinha, no frio de cerca de 10ºC. O dono do asilo disse não poder recebê-la e chamou a Polícia Militar, onde ela passou a noite no batalhão.

Depois, chegou a voltar no dia seguinte para a casa do sobrinho que a deixou, mas já na sexta foi acolhida pela conhecida.

Decisão judicial

De acordo com o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), não houve necessidade de cumprimento da decisão liminar (temporária) da Justiça dada na semana passada. O motivo é que a família com a qual ela está continuou a acolher a idosa voluntariamente.

A decisão judicial determinada que a Prefeitura de Tijucas e o sobrinho da vítima pagassem pelo acolhimento dela em uma instituição.

O MPSC também afirmou que a senhora está sendo acompanhada diariamente pela rede de proteção do estado, que inclui órgãos de assistência social como o Creas.

Na próxima quinta-feira, dia 11, haverá um audiência judicial sobre o caso, com presença do MPSC, da idosa e da família que está fazendo o acolhimento. O Ministério Público não repassou mais informações sobre o conteúdo da audiência.

Abandono

Nas imagens de câmera de segurança do asilo particular, a idosa aparece descendo do carro com as malas. Ela morava havia três anos com um sobrinho e a mulher dele.

A família, de Tijucas, foi localizada pela Assistência Social de Brusque e voltou para buscar a senhora no dia seguinte ao abandono.

A idosa não quis gravar entrevista e preferiu não comentar as acusações feitas pelos parentes, que dizem não ter condições financeiras e emocionais para ficar com ela.

A senhora veio de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, onde morava com uma irmã, para ajudar a cuidar dos filhos do casal.

A Polícia Civil de Brusque abriu inquérito em 13 de julho. A vítima e testemunhas já foram ouvidas.

Caso comprovado, o sobrinho e a esposa dele poderão ser indiciados por abandono, crime previsto pelo estatuto do idoso com pena de 6 meses a 3 anos de detenção e multa.

Fonte: Portal G1 | Foto: Reprodução

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário