Hospital Oase de Timbó emite nota de esclarecimento sobre investigação de desvio de recursos públicos da área da saúde

A direção do Vidas Instituto de Assistência à Saúde que administra o Hospital e Maternidade Oase de Timbó e está à frente de hospitais e unidades de Pronto-Atendimento em várias cidades do Estado vem a público esclarecer que a entidade não é alvo da investigação que a Polícia Civil de Santa Catarina realiza contra o desvio de recursos públicos da área da saúde.

Segundo a investigação, uma Organização Social (OS) é suspeita de realizar o esquema fraudulento em Penha e Itapema. A polícia não divulgou o nome da organização, nem quantos mandados são cumpridos em oito cidades catarinenses.

Os trabalhos foram batizados de Operação Sutura e são uma investigação de Divisão de Combate aos Crimes Contra o Patrimônio Público (DCCPP/Deic) por meio do Laboratório de Lavagem de Dinheiro (LAB-LD).

O Ministério Público de Contas e Ministério Público Estadual da Comarca de Penha apoiam as ações.

O Vidas Instituto de Assistência à Saúde não é uma ORGANIZAÇÃO SOCIAL e sim uma ENTIDADE SEM FINS LUCRATIVOS.

Por essa razão a direção afirma que não há nenhuma ligação com as investigações em curso pelas autoridades policiais junto ao Vidas.

A entidade sempre trabalhou e trabalha com ética e transparência em seus contratos. A direção está pautada em princípios de valorização da boa aplicação dos recursos públicos atuando de forma idônea em todas as suas ações.

O Vidas se coloca a disposição de todos para esclarecer qualquer dúvida em relação ao seu trabalho.

Foto: Portal Misturebas

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário