FIC recebe Noite de Autógrafos e lançamento do livro “A primeira vez que o Betão morreu”

A Fundação Indaialense de Cultura sedia nesta quarta, 6 de junho, Noite de Autógrafos e lançamento do livro “A primeira vez que o Betão morreu”, dos autores Werner Neuert e Rubens Airton Schütz (in memorian). O evento acontece às 20h00, na Rua Dr. Blumenau, 5, Centro. Toda a comunidade é convidada a prestigiar. Quem quiser adquirir um exemplar do livro poderá fazê-lo na oportunidade pelo valor de R$20.

O livro “A primeira vez que o Betão morreu” traz tantas histórias que até parecem estórias tão faladas pelo povo local e regional. Baseia-se em fatos cotidianos ocorridos, palavras ditas nas rodas de conversas, nas festas e nos bares, nos quais a forma de falar e agir de uma comunidade se tornava combustível para observadores de plantão.

Com o falecimento de Rubens em 2015 e uma obra inacabada, Werner, com o apoio da viúva Arlete Schütz coloca-se a serviço do leitor trazendo à luz as histórias colecionadas por Schütz. Homenageando seu dileto amigo, materializa os seus causos com essa obra agora concluída e escrita a quatro mãos, pois Werner também é um contador de causos garimpados na sociedade.

Sobre os autores

Rubens Airton Schütz nasceu em Timbó, em 30 de julho de 1953. Foi colunista de jornais do Médio Vale do Itajaí, chefe de Gabinete e assessor de imprensa da Prefeitura de Indaial. Sua última atividade profissional foi na função de assessor de comunicação da Câmara de Vereadores de Indaial.

Werner Neuert nasceu no Vale do Itajaí, no dia 7 de junho de 1964. Foi assessor parlamentar e secretário de Comunicação da Prefeitura de Indaial. É também advogado e autor das obras: “O ofício de Matar Bois”, “A terra estava vazia e vaga” e “Ofício divino”.

Fonte: Imprensa de Indaial | Foto: Divulgação

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário