Estudo mostra o crescimento da criminalidade em Santa Catarina

O Fórum Brasileiro da Segurança Pública divulgou na semana passada um novo recorte do Anuário Brasileiro de Segurança Pública com comparações de dados entre 2014 e 2017, além de estatísticas de alguns Estados desde 1996. É o caso de Santa Catarina, que teve os números analisados por Felipe Mattos Monteiros, doutorando em Sociologia pela USP e pesquisados pesquisador do Núcleo Interdisciplinar em Políticas Públicas da UFSC. Segundo ele, o material permite conhecer como diversas modalidades de crimes evoluíram em um estado que, embora não apareça entre aqueles com as maiores taxas de homicídios do país,passa a experimentar tendências de incremento nos seus índices de mortalidade violenta intencional.

Crescimento

De acordo com a pesquisa, desde 2002, ano que marca o início de uma trajetória de intenso crescimento das taxas de homicídios no estado, duas regiões vêm revezando sua contribuição para o aumento destes índices: o Litoral Norte e a Grande Florianópolis. Joinville, por exemplo, elevou sua taxa de homicídios em 154% no período de 1996 a 2017 e Florianópolis em 272% alcançando 37,2 mortes para cada cem mil habitantes, superior inclusive à média brasileira.

Armas

Os especialistas ponderam que um dos fatores fundamentais para a redução dos homicídios é a retirada de circulação das armas de fogo. No entanto, Monteiro destaca que em SC parece ocorrer o movimento contrário. Houve redução de 13,1% na taxa de apreensão de armas de fogo no período analisado.

Mais números

Em relação a outros números, houve redução de 21,2% nos furtos e roubos de veículos, mas as outras estatísticas avaliadas tiveram aumento. Nos crimes contra pessoa, a taxa de estupros registrados em Santa Catarina aumentou 35,5%, o que pode ser reflexo tanto de um incremento real no número de casos, quanto de um declínio na subnotificação dos dados; Outra estatística preocupante é o de número de pessoas desaparecidas, que aumentou 115,1%.

 

Fonte: NSC Total | Foto: Betina Humeres

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário