Estelionatário que aplicou mais de 50 golpes em mulheres desde 1990 é preso no Vale do Itajaí

De acordo com a Polícia Civil, ele se passava por brigadeiro da Aeronáutica, general do Exército e até como diretor da Anvisa para conquistar relacionamentos

Você se lembra do filme Prenda-me se for capaz, em que Leonardo DiCaprio interpreta Frank Abagnale Junior, um ex-impostor norte-americano que falsificava cheques e simulava ter profissões que, na verdade, eram uma farsa? Ou então o longa-metragem brasileiro VIPs, em que Wagner Moura faz o papel de Marcelo Nascimento da Rocha, o farsante mais conhecido do Brasil, que assumia identidades falsas e aplicava golpes de estelionato pelo país? Pois então.

Nesta quarta-feira, a Polícia Civil de Blumenau prendeu um homem de 58 anos que agia de forma parecida com os dois conhecidos criminosos – mas com devidas as proporções, claro.

De acordo com o delegado David Sarraf, responsável pelo caso, o homem já enganou mais de 50 mulheres em golpes nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

O histórico de crimes começou a se desenrolar em 1990, em Brasília, e de acordo com a Polícia Civil não parou de lá para cá. O estelionatário conquistava mulheres, normalmente na faixa dos 50 aos 70 anos, e com a desculpa de um empréstimo ou investimento de grande retorno, pegava dinheiro das vítimas – que varia de R$ 3 mil em roupas até mais de R$ 60 mil de uma mesma mulher.

No acumulado de crimes do homem, conforme a Polícia Civil, estão furto, roubo, apropriação indébita, sequestro relâmpago, estupro, crimes contra a fé pública, falsidade ideológica e estelionatos.

Para conquistar as mulheres e desenvolver uma relação afetiva com as vítimas, ele se passava por brigadeiro da Aeronáutica, general do Exército, diretor da Avisa e até enfermeiro.

Segundo Sarraf, ele dizia às mulheres ser maratonista, ter uma filha na França, e chegava a alegar algumas dificuldades financeiras por ter todo o seu dinheiro aplicado em investimentos.

– Ele desenvolve uma relação de amizade com a vítima, às vezes até afetiva, e a partir do perfil da vítima ele desenvolve uma personalidade. Às vezes como uma pessoa mais humilde, como um enfermeiro que precisa de dinheiro emprestado para a filha que está doente, ou até de pessoas com alto poder aquisitivo e começa a propor diversos investimentos, como a compra de terrenos. Desde 1990, praticamente todo ano tem um registro dele em estados diferentes – explica Sarraf.

A Polícia Civil de Blumenau começou a acompanhar o suspeito após haver o primeiro registro de uma vítima na cidade, em que o estelionatário causou um prejuízo de R$ 6,5 mil.

Por conta disso os investigadores conseguiram localizar o homem em Navegantes, onde ele foi detido e trazido até a Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de Blumenau.

Fonte: NSC | Foto: Patrick Rodrigues

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário