Escritoras pomerodenses recebem premiação nacional realizada em Maceió

Há poucas coisas no mundo que são tão satisfatórias quanto ser reconhecido pelo trabalho que desenvolve. E essa experiência pôde ser vivida pelas escritoras pomerodenses, Andréa Gustmann Gomes e Neida Rocha, já que foram premiadas com um troféu e um certificado do prêmio “Melhores do Ano 2018”, concedido pela Associação Internacional de Escritores e Artistas (Literarte).

A premiação foi realizada entre os dias 03 e 05 de agosto, em Maceió (AL), e as pomerodenses foram as vencedoras da categoria Literatura. Infelizmente, Neida e Andréa não puderam estar presentes no evento de premiação, por terem compromissos na mesma data, mas receberam os troféus e os certificados.

“Mesmo não tendo a experiência de receber em mãos, em um evento próprio para isso, a emoção pelo reconhecimento continua a mesma. “A sensação é um misto de alegria, satisfação e a certeza de que estamos no caminho certo. Como diz o poeta Fernando Pessoa: ‘tudo vale a pena quando a alma não é pequena’”, declaram as escritoras.

A premiação em nível nacional representa muito, também, para a Câmara Literária de Pomerode (Clip Mulher), que é idealizada por Andréa e Neida, pois leva o nome de Pomerode e da Clip Mulher ao cenário literário nacional, que foi possível graças à sintonia entre as duas escritoras e os objetivos que elas possuem em comum.

Bienal do Livro

Outro momento em que a Câmara Literária de Pomerode esteve em destaque foi na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, realizada entre os dias 03 e 12 de agosto. Neida e Andréa estiveram presentes no stand da Rede de Escritoras Brasileiras (Rebra), a convite da presidente da instituição, Joyce Cavalccante, para participar da coletânea “Afinal, o que querem as mulheres?”.

De acordo com as pomerodenses, a participação na 25ª Bienal Internacional do Livro foi prazerosa e gratificante. “Além de divulgar nossos trabalhos em um dos maiores eventos literários em nível mundial, conhecemos outras pessoas, fomos entrevistadas e muito fotografadas, pois estávamos com traje típico, o que deu muita visibilidade para Pomerode”, disseram.

A participação na Bienal do Livro também serviu como forma de adquirir novos conhecimentos, que foram trazidos para a cidade, além do carinho das pessoas que prestigiaram o stand, em geral, e de outros escritores que conheceram, além da repercussão em torno de nossos nomes e da Clip Mulher e de Pomerode.

“Nossa forma de incentivar a leitura na cidade, além de participar desses eventos, é organizar e realizar nossos projetos pessoais, através da publicação de livros e participação em eventos nas Escolas, como a Feira do Livro dos Escritores Pomerodenses, da Sacola Literária (nas escolas de Ensino Fundamental, na CEI’s e na exposição de livros para empréstimos, nos ônibus da cidade), além de parcerias com o poder público e privado. Temos também o envolvimento dos alunos, através do Concurso para a Capa da Agenda Poética que está em sua 2ª edição”, finalizam as escritoras.

A Bienal Internacional do Livro existe desde 1961, quando foi realizada em parceria com o Museu de Arte de São Paulo. Foram 197 expositores, 313 convidados brasileiros e estrangeiros e 1,5 mil horas de programação. Em 2016, foram 280 os expositores e 388 os autores presentes.

 

Fonte: Jornal de Pomerode

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário