Empresário encontra cão morto dentro de sacos de lixo em frente a estabelecimento, em Gaspar

A quinta-feira, 6 de dezembro, era para ser apenas mais um dia normal de trabalho para o empresário Wilson Wanzuit, proprietário do Engenho Quinta do Vale, no bairro Gaspar Grande.

Porém, próximo ao meio-dia, ele testemunhou uma crueldade: encontrou, em sua lixeira, um cão morto. Ele explica que ainda de manhã, por volta das 9h30min, seu pai avistou um saco de lixo jogado na calçada em frente ao estabelecimento. “De vez em quando aparece lixo jogado ali. Então meu pai pegou o saco e colocou no nosso lixo. Mas fiquei intrigado pois o saco não era da cor que usamos aqui em casa. Por volta das 11h fui olhar o saco novamente e percebi que estava muito bem embalado. Então resolvi verificar”, explica.

Wilson diz que o pacote tratava-se de uma caixa de papelão, que estava envolvida por dois sacos plásticos. “Tirei o primeiro nó e depois fui retirar o segundo saco. Foi quando vi a patinha”, diz. O cão já estava morto. “Não sei se ele já estava morto quando jogaram ele ali ou se ele morreu asfixiado. Só sei que fiquei chocado com o que vi”, revolta-se. Wilson não pensou em chamar a polícia, só em enterrar o animal. “Eu cavei o buraco mas não tive coragem de enterrá-lo. Pedi ao meu pai para fazer isso. Se tivesse retirado ele com vida da caixa, ficaria para mim”.

Atenção!

Abandono e maus-tratos a animais é crime. Se alguém flagrar alguma dessas situações deve acionar o 190. Se constatado o fato, o agressor irá responder no Juizado especial. A pena prevista é de detenção de 3 meses a 1 ano e multa.

 

Fonte: Jornal Metas

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário