Em áudios polêmicos, Prefeito de Gaspar convoca comissionados a defenderem proposta nas redes sociais

Dois áudios enviados pelo prefeito, Kleber Wan-Dall, via aplicativo WhatsApp a um grupo de servidores comissionados – assessores, diretores e secretários – cobrando ações efetivas na defesa da proposta de transformar o auxílio-alimentação em prêmio por assiduidade foi o assunto desta quarta-feira, 29 de agosto, na cidade de Gaspar. As mensagens acabaram vazando do grupo – “Gaspar Eficiente” – e passou a circular nas redes sociais. Wan-Dall é enérgico na sua determinação para que o vídeo, publicado em sua página, na defesa da proposta, seja compartilhado e comentado positivamente.

No primeiro dos áudios, o prefeito dá um prazo para que todos sigam a sua determinação, caso contrário ameaça tomar providências, porém, ele não chega a especificar quais seriam: “Pessoal, prestem atenção. Se até meia-noite não tiver compartilhamento de cada um dos senhores e das senhoras desse vídeo, e comentários defendendo, positivo, na postagem, amanhã eu vou tomar providências. Certo? Compartilhem, liguem, falem um com o outro aí. Resolvam esse negócio. Quero compartilhado por cada um dos senhores. Amanhã vou tomar nota aqui com o pessoal da comunicação. Certo? E fiquem atentos para responder aos comentários que for. Tem que cumprimentar e parabenizar a decisão do governo, que vai atender a uma reivindicação do servidor, vai continuar pagando os R$ 430 em dinheiro. Certo? E ao mesmo tempo fazendo economia para o município de Gaspar. Preciso de vocês, agora – diz Wan-Dall no áudio.

No segundo áudio, o prefeito dá orientações específicas para os servidores comissionados das áreas da Saúde e das Finanças. “Pessoal, nos comentários da postagem sobre o vídeo do vale-alimentação, eu preciso da atenção do pessoal da saúde e do pessoal da Secretaria da Fazenda para darem respostas técnicas aqueles comentários que fazem com relação à postagem e de outros assuntos, como a saúde, que não tem nada a ver com o assunto, mas preciso que respondam, certo? No comentário e no inbox, certo? Com exceção de quem a gente sabe que é contra, por exemplo, tem alguns servidores que é contra…é contra, mas nos comentários tem que responder”.

As duas mensagens foram enviadas logo após a Câmara de Vereadores aprovar, na noite de terça-feira, 27 de agosto, o projeto de lei 22/2018, de autoria do vereador Cícero Amaro (PSD), que modifica a lei 1.491, de 3 de abril de 1994, que regulamentou o auxílio-alimentação. Desde então, o benefício vem sendo pago incorporado ao salário dos servidores públicos estatutários e celetistas. A administração municipal pretende pagar o benefício em forma de cartão alimentação e, dessa forma, se livrar dos encargos sociais que incidem sobre os R$ 430,00 que hoje são pagos. A prefeitura calcula uma economia de cerca de R$ 2 milhões por ano. Já os servidores alegam perdas salarial e previdenciária.

Procurado pela reportagem do Jornal Metas, o prefeito Kleber Wan-Dall admitiu que enviou a mensagem, mas que ela foi direcionado para um grupo fechado de comissionados e secretários. O contexto era a nova proposta aos servidores relativo ao auxílio-alimentação.”Infelizmente, alguém do grupo acabou repassando as mensagens adiante, mas não teve qualquer tipo de direcionamento aos servidores efetivos. O prefeito tratou as mensagens como normais. “Trata-se de um puxão de orelha à equipe de trabalho e que acontece em toda administração municipal”. Wan-Dall disse ainda que essas não foram as primeiras mensagens em que faz cobranças ao grupo de trabalho e não serão as últimas. Ele também disse que não tem nem certeza se a pessoa que vazou os áudios o fez com a intenção de causar tumulto. “Talvez, ele tenha passado adiante a outra pessoa que vazou os áudios”, finalizou o chefe do executivo gasparense.

 

Fonte: Jornal Metas | Foto: Arquivo/Jornal Metas

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário