DNIT admite mudança em cota de enchentes após obra na BR-470, em Blumenau

Foi tranquilizadora a reunião de ontem à tarde, aqui em Blumenau, do superintendente catarinense do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Ronaldo Carioni Barbosa, com o presidente da Associação de Moradores da Rua Romário Conceição Badia e Transversais, Leandro Galdino, e o coordenador político do deputado estadual Ismael dos Santos, Emerson Antunes.

A comunidade teme pelos efeitos dos aterros colocados para a duplicação da BR-470 na região da Rua 1º de Janeiro , primeira a ser tingida em uma enchente em Blumenau.

Carioni admitte que as cotas de enchente devem mudar, mas também elencou alguns benefícios, como o fato da água que antes ficava represada ganhar mais vazão a partir de agora com a obra de duplicação. Não só pelo sistema de drenagem instalado, mas também pela ligação dos dois trechos da 1º de Janeiro, que hoje é dividida pela rodovia federal, e por outros viadutos a serem erguidos no local.

O superintendente também lembrou que a prefeitura de Blumenau conhecia o projeto, com todos os aterros previstos.

Além disso, a comunidade também teve a oportunidade de opinar e sugerir mudanças no que estava previsto para ser executado em audiência pública que foi promovida pelo DNIT antes da obra começar.

Duplicação avança

Ronaldo Carioni Barbosa percorreu ontem todo o trecho de 76 quilômetros de duplicação da BR-470. Apesar de alguns problemas, ele está confiante e otimista. Diz que a obra avança em ritmo adequado e acredita que isso pode ajudar na pressão que se faz em Brasília para que o governo federal reveja a decisão de cortar em um terço o dinheiro que seria destinado à duplicação.

Também reafirmou que espera entregar o primeiro trecho de oito quilômetros de duplicação entre Navegantes e Ilhota até dezembro. Para os mais próximos ele prevê que a duplicação seja concluída em 2021. Falta combinar com o próximo presidente.

Fonte: NSC | Foto: Divulgação

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário