Dia da Consciência Negra e Abolição da Escravatura são lembrados com eventos, em Gaspar

Conscientizar a população, falar sobre igualdade e gerar reflexão. Esses são alguns dos objetivos do movimento afro Raízes do Vale, que, a partir do dia 18 de novembro, inicia uma semana de ações em alusão ao Dia da Consciência Negra, lembrado no dia 20 de novembro, e também em comemoração aos 130 anos da abolição da escravatura.

A programação começa no dia 18 de novembro, com o 3º almoço promovido pelo grupo, que acontece no Centro Comunitário do bairro Santa Terezinha. A partir das 11h20, além de uma deliciosa comida caseira, haverá também a participação do grupo de samba raiz Pedra de Sal; apresentação de dança de Carimbó e uma homenagem às famílias de antigos moradores de Gaspar que deram nome à ruas da cidade: travessa Lídia Laguna; rua Ogídio da Silva; rua Cantídio Machado; e rua Manuel Pedra. Depois disso, uma série de atividades nas escolas do município também estão na programação, com gincanas, palestras, distribuição de materiais e atividades voltadas para o público afro.

No dia 22 de novembro, às 19h, a Câmara de Vereadores de Gaspar recebe a palestra “O que o Vale do Itajaí tem feito em relação às políticas de ações afirmativas às leis 10639/03, 116545/08 e 7716/89?”. Os palestrantes serão o advogado Marco Antônio André e o professor Carlos José da Silva, do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro da Universidade Regional de Blumenau (Neab-Furb) e o professor Luiz Herculano Sousa, do Instituto Federal Santa Catarina, campus de Gaspar.

Conforme Vlademir Rosa, membro do movimento Raízes do Vale, os eventos têm como principal objetivo refletir sobre as datas e estar em comunhão não apenas com a população negra, mas com toda a comunidade. “Olharmos para trás e perceber o que esses 130 de abolição representam e o principal: o que se evoluiu enquanto indivíduo que em alguns momentos sofreram tanto”.

 

Fonte: Cruzeiro do Vale

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário