Confira seis dicas para economizar energia elétrica em qualquer época do ano

Economizar energia elétrica dentro de casa pode trazer um alívio considerável para nosso próprio mundo financeiro. Contas como luz, gás e água são consideradas “vilãs do orçamento” por 33% dos moradores da Região Sul, segundo pesquisa da Boa Vista SCPC.

E há muitas formas de economizar que vão além do “usar menos”. Confira as dicas do coordenador do Laboratório de Eficiência Energética da PUCRS, Odilon Duarte.

1 – Mantenha em dia a manutenção de aparelhos

A má conservação de eletrodomésticos impacta diretamente no consumo de energia elétrica. Filtros sujos reduzem em até 20% a eficiência do ar-condicionado e levam a mais gasto para obter o mesmo resultado.

O mero ressecamento da borracha de vedação da geladeira ou do freezer também podem sobrecarregar o compressor do equipamento, aumentando o consumo. Teste a sua: abra a geladeira, coloque uma folha de papel entre a borda e a porta e feche. Se o papel sair com facilidade, é preciso trocar a borracha.

2 – Avalie a troca de equipamentos com mais de 20 anos de uso

No caso de equipamentos com mais de 20 anos, vale avaliar a troca por um mais novo. A exigência do selo Procel, que mede a eficiência energética, estimulou a indústria a desenvolver equipamentos econômicos.

— O investimento inicial é elevado, mas geladeiras antigas consomem 30% mais energia — pondera Duarte.

Se for permanecer com o eletrodoméstico, faça uma manutenção (limpeza de serpentina, troca de borracha, verificação do compressor e do gás refrigerante), não coloque objetos quentes no refrigerador e pense em que alimentos vai pegar antes de abrir a porta.

3 – Escolha a temperatura certa no ar-condicionado

Quem utiliza o ar-condicionado por longos períodos, no verão ou no inverno, sabe que a conta de luz vai nas alturas. É possível amenizar o baque, a começar pela temperatura configurada: recomenda-se de 21°C a 23°C no inverno, e de 23°C a 25°C no verão. Cada grau que você aumenta no verão ou diminui no inverno gera economia de 7%. E há outros macetes.

— No verão, abra as janelas por alguns minutos e deixe o ar parado, quente pela insolação, dissipar. Depois, ligue o ar somente nas peças onde as pessoas vão permanecer, mantendo portas e janelas fechadas, para ter a mínima troca térmica com outros ambientes — recomenda Duarte.

Pode-se ligar o ventilador simultaneamente, aumentando a sensação de frescor sem precisar baixar tanto a temperatura do ar. No inverno, vale o contrário: após uma rápida arejada na casa, mantenha janelas bem fechadas para barrar a troca com o ar gelado da rua.

4 – Se possível, use o chuveiro na posição “verão”

— Sempre que possível, deve-se usar o chuveiro elétrico na posição verão, porque esse modo economiza 30% da energia elétrica — aconselha Duarte.

No caso do chuveiro com aquecimento a gás, vale organizar as duchas da família. Se todos tomarem banho em sequência, evita-se que a água já aquecida entre o aquecedor e o chuveiro esfrie entre um uso e outro, reduzindo o desperdício. E não se esqueça da manutenção anual requerida pelo aquecedor a gás.

Tanto para chuveiros elétricos quanto para os a gás, vale o puxão de orelha: nada de deixar a água quente correndo para esquentar o banheiro.

— O pessoal tem esse hábito de ligar o chuveiro para gerar aquela fumacinha, já que o ambiente do banheiro é muito frio. É um engodo, é preferível utilizar uma estufa elétrica de até 2000w — orienta Duarte.

5 – Troque as lâmpadas fluorescentes pelas de LED

Duarte recomenda a troca, na medida do possível, das lâmpadas fluorescentes pelas de LED, mais econômicas e de longa durabilidade, ainda que custem mais. Para economizar mais com iluminação, outros fatores têm peso: pintar paredes e tetos em cores claras é imprescindível, pois aumenta a reflexão da luz. E, claro, aproveite a luz natural, mantendo cortinas, persianas e venezianas abertas durante o dia – o que, no inverno, também contribui para aquecer o ambiente.

6 – Mude a rede para 220 voltz

Devido à má qualidade da infraestrutura de eletricidade no Brasil, trocar a rede de casa para 220v pode representar economia, além de mais segurança. Pelo menos para o chuveiro elétrico, o impacto da mudança é bastante significativo.

— A corrente do chuveiro elétrico é a maior que há na casa. Utilizar o equipamento 220v gera economia e um banho de melhor qualidade — avalia Duarte.

Fonte: DC | Foto: Mateus Bruxel

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário