Condenado por sequestro em Ilhota escapa da prisão, em São Pedro de Alcântara

Condenado a 34 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelo sequestro do filho de um empresário de Ilhota, em 2014, Peterson Willian da Silva Machado, conseguiu escapar do complexo penitenciário Santa Catarina, em São Pedro de Alcântara. A notícia foi confirmada pelo Delegado Regional de Blumenau, Egídio Maciel Ferrari, que na época participou da equipe que realizou as investigações e prisão dos envolvidos. Segundo informação, publicada no blog do comunicador Alexandre Joré, Peterson teria fugido na tarde da última quinta-feira, 13 de dezembro, juntamente com outro detento de alta periculosidade.

Relembre o caso

O menino, na época com nove anos, foi sequestrado, no começo da noite do dia 29 de maio, enquanto andava de patinete motorizado às margens da Rodovia Jorge Lacerda, no Centro da cidade, enquanto seu pai jogava futebol em uma quadra próxima. O menino foi levado para o cativeiro, uma casa alugada na cidade de Penha, no Litoral Norte do Estado. Lá ele ficou por quase cinco dias em poder dos sequestradores que exigiam uma quantia de R$ 500 mil. No final da manhã do dia 3 de junho, os policiais estourarem o cativeiro. Peterson já havia sido preso em Brusque e Rosicleide em Indaial, quando se preparava para fugir. Dois criminosos que estavam na casa no momento do resgate foram baleados e morreram. Eles foram identificados como Fernanda Marin Soares, de 18 anos, e Aldair Gonçalves de Franca. Os suspeitos apontados como “cabeças” do sequestro, Rosicleide Rodrigues, de 32 anos, e o namorado, Peterson da Silva Machado, na época com 36 anos, foram presos no mesmo dia. A investigação envolveu policiais civis de Ilhota e Gaspar, além da equipe da Divisão de Roubo e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). Segundo informações, a vítima teria sido escolhida através de informações obtidas na rede social facebook da família.

Qualquer informação sobre o paradeiro de Peterson pode ser repassada para a polícia nos telefones 190 e 181 por meio de denúncia anônima.

 

Fonte: Jornal Metas | Foto: Polícia Civil

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário