BR-470: O que está ruim ainda pode piorar?

Mesmo antes da paralisação dos caminhoneiros, governo passou a tesoura no orçamento da duplicação da BR-470/SC

A Associação Empresarial de Rio do Sul (ACIRS) repudia o corte de R$ 23.819.289,00 no orçamento das obras de duplicação da BR-470/SC. O cancelamento foi publicado no Diário Oficial da União na segunda-feira, 14 de maio de 2018.

A duplicação da BR-470/SC deveria receber R$ 145 milhões neste ano; valor reduzido para R$ 121 milhões. De acordo com o Painel do Orçamento Federal/SIOP, até 1º de junho, pouco mais de R$ 16 milhões da dotação atual foram empenhados.

Na mesma portaria em que anulou parte da dotação orçamentária para uma das mais importantes e castigadas rodovias de Santa Catarina, o governo federal abriu crédito suplementar para priorizar a construção, manutenção e adequação de trechos rodoviários em outros estados.

Até abril, dois eventos foram realizados com a participação de parlamentares catarinenses em Blumenau (SC) e Brasília (DF), respectivamente, para anunciar a abertura de frentes de trabalho nos lotes 3 e 4 da duplicação da BR-470/SC.

Já o anúncio do corte no orçamento – efetuado antes mesmo da paralisação dos caminhoneiros – até agora não ganhou destaque ou a publicidade equivalente. Quem está preocupado? É lamentável.

A ACIRS aproveita o ensejo para ratificar a necessidade de novos recursos para garantir a plena execução dos contratos e ações relacionadas à revitalização e à manutenção da BR-470/SC.

Em diversos trechos a situação é péssima, conforme o Índice de Condição da Manutenção (ICM) do próprio DNIT.

A este respeito, a ACIRS aguarda manifestação do Fórum Parlamentar Catarinense para a realização de encontro no Alto Vale do Itajaí. O pedido já foi formalizado em março, em Rio do Sul.

Fonte: Presidente da ACIRS | Foto: Divulgação

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário