Arrecadação do Governo de Santa Catarina cresce 10% em outubro

A alta da arrecadação do governo de Santa Catarina em outubro confirma as expectativas melhores da Secretaria de Estado da Fazenda para o último trimestre do ano. No mês passado, a receita bruta total do Estado alcançou R$ 2,2 bilhões, 10% superior a do mesmo mês do ano anterior. No acumulado de janeiro a outubro, a receita cresceu 7%, variação muito próxima da estimada para a Lei Orçamentária Anual (LOA), 7,88%, alta que pode ser atingida até dezembro. O ICMS, principal tributo estadual, alcançou arrecadação de R$ 1.815 bilhão, 11% superior a cifra do mesmo mês de 2017.

As maiores variações médias positivas na arrecadação de ICMS ocorreram no segmento de redes de varejo (em especial com itens da linha) com crescimento de 27%, seguido pelos supermercados, com alta de 20,6%. Graças à fiscalização mais rígida com o uso de automação comercial, o grupo especialista setorial que fiscaliza os bares, restaurantes e similares também conseguiu incremento de 27% em outubro nesse setor.

​Florianópolis é a 24ª melhor cidade brasileira para fazer negócios, segundo ranking​

Com maior atividade econômica e a ajuda das festas de outubro, o setor de combustíveis, que representa cerca de 20% do total arrecadado de ICMS, registrou aumento de 7,59%. Outro setor importante, o de energia, teve crescimento de 12,93% no total de ICMS no período. A receita tributária da venda de veículos teve alta de 16%, o que mostra que os catarinenses seguem trocando de carro.

Uma empresa catarinense do varejo de móveis e eletrodomésticos que registra esse bom momento de vendas é a rede Lojas Koerich. O presidente da companhia, Antonio Koerich, informa que a alta das vendas da rede em outubro ficou em 10% frente ao mesmo mês de 2017 e um dos itens mais procurados foram lavadoras de roupas.

O crescimento das vendas ocorre porque mais pessoas não temem perder o emprego, a inflação está sob controle, mais previsível, e as condições de pagamento são favoráveis – afirma Antonio Koerich ao observar que a empresa oferece opção de pagamento em até 30 vezes, mas a maioria prefere em até 10 vezes.

 

Fonte: NSC | Foto: Pixabay

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário