Aeroportos de SC têm alta de 4,7% na movimentação de passageiros

Ao menos 6,8 milhões de passageiros passaram pelos cinco maiores aeroportos catarinenses ao longo de 2018. O número é 4,7% maior do que o ano anterior e considera todas as pessoas que embarcaram ou desembarcaram nos terminais de Florianópolis, Navegantes, Joinville, Chapecó e Jaguaruna. Os dados foram divulgados por Infraero, Floripa Airport, prefeitura de Chapecó e RDL Aeroportos, responsáveis pelos terminais.

O destaque foi o Aeroporto Victor Konder, em Navegantes, que teve aumento de 19,4% na movimentação de passageiros em comparação com 2017. O Lauro Carneiro de Loyola, em Joinville, também teve alta, mas segue abaixo do pico alcançado em 2015.

Em Florianópolis, o Aeroporto Hercílio Luz teve seu primeiro ano de concessão e iniciou nova série histórica. No entanto, o índice apresenta estabilidade em relação ao ano anterior.

Foto: Diorgenes Pandini

Florianópolis recebe 3,8 milhões de passageiros

O ano passado marcou a concessão do aeroporto da Capital. Em 3 de janeiro de 2018, a gestão passou da Infraero para o controle privado da Floripa Airport, que pertence à suíça Zurich Airport. A empresa abriu nova série histórica com 3,8 milhões de passageiros.

O número é semelhante ao divulgado em 2017 pelo governo federal, quando também passaram 3,8 milhões de pessoas pelo aeroporto, apesar da comparação ser imprecisa por serem fontes distintas – a Floripa Airport iniciou a contagem com nova metodologia a partir de 2018.

Na avaliação da Floripa Airport, o total de passageiros internacionais cresceu 14% no ano passado em comparação com 2017. O destaque foram os turistas chilenos, que utilizaram voos de baixo custo oferecidos desde novembro para a rota Florianópolis-Santiago. Em contrapartida, o número de argentinos diminuiu e o de visitantes permaneceu estável.

O novo terminal de passageiros, uma das exigências da concessão, está previsto para ser concluído até outubro de 2019. A expectativa do CEO da Floripa Airport, Tobias Markert, é que a movimentação de pessoas aumente 5% neste ano com a inauguração do aeroporto, principalmente pela possibilidade de oferecer percursos de longa distância. Porém, o dirigente é cauteloso ao analisar a possibilidade de novas rotas.

Graças ao novo terminal, vamos oferecer a possibilidade de mais voos. Mas a nova estrutura aeroportuária em si não significa que as companhias aéreas vão voar mais. Passageiros buscam destinos que ofereçam atrativos turísticos, negócios na cidade e no Estado. Isso não acontece de forma mágica — diz Markert.

Navegantes tem crescimento de 19,4% na movimentação

O terminal localizado no Litoral Norte teve crescimento considerável na movimentação de passageiros ao longo do último ano. As quase 2 milhões de pessoas que passaram pelo aeroporto em 2018 colaboraram com o crescimento de 19,4% em relação a 2017 e a instauração de um novo recorde — que antes era de 1.588.921 passageiros em um ano.

A superintendente do terminal, Andréia Nandi, ressalta que a localização do aeroporto tem contribuído para o número de passageiros aumentar gradativamente, já que Navegantes fica no Litoral e próximo a parques temáticos e centros comerciais. Mas a melhora na economia e a maior divulgação de Santa Catarina foram fundamentais para o grande crescimento de 2018.

Quanto mais houver divulgação externa sobre o que Santa Catarina tem de atrativos turísticos, maior é o movimento nos aeroportos, já que desperta curiosidade da população. E a melhoria da economia também afeta positivamente os negócios, incluindo setores importantes da região, como tecnologia, exportação e pesca.

A prioridade para atrair mais passageiros nos próximos anos é ampliar o terminal. De acordo com Andréia Nandi, a licitação do projeto deve ser aberta no próximo dia 14, de forma que as obras devem começar ao longo deste ano.

Também há possibilidade de novas rotas, como o voo teste para Foz do Iguaçu, realizado no fim de 2018. Mas a superintendente afirma que as novidades ainda estão em fase de negociação.

Foto: Salmo Duarte

Joinville mantém movimentação de passageiros estável

A movimentação de passageiros no terminal do Norte do Estado permaneceu praticamente estável na comparação com 2017. Foram 480,2 mil pessoas diante de 476,9 mil no ano anterior, o que representa aumento tímido de 0,6%.

Apesar do pouco crescimento, o aeroporto conseguiu reverter uma tendência de queda que ocorria desde 2015, quando 519 mil passageiros passaram pelo terminal e estabeleceram o atual recorde.

O Lauro Carneiro de Loyola tem capacidade de atender até 1,3 milhão de passageiros por ano, de acordo com a Infraero. Porém, nos últimos anos enfrentou dificuldades com a diminuição da oferta de voos e a proximidade com os aeroportos de Curitiba e Navegantes, que oferecem mais rotas atualmente.

Por nota, a Infraero considera que o aumento na movimentação de passageiros no segundo semestre de 2018 ocorreu pela melhor ocupação dos voos. Após períodos de sucessivas quedas, pode ser um momento de crescimento para o aeroporto de Joinville.

O objetivo para 2019 é criar novos voos para aumentar o número de passageiros no terminal. A Infraero afirma que há estudos de companhias aéreas para oferecer mais horários, principalmente com destino ao Aeroporto de Guarulhos.

A expectativa da empresa estatal é que o acréscimo de um voo diário para a Guarulhos poderia aumentar em até 10% o número de pessoas que embarcam e desembarcam no aeroporto.

Chapecó

O aeroporto do Oeste teve crescimento considerável nos últimos cinco anos e em 2018 quase alcançou a movimentação de passageiros registrada na maior cidade do Estado — foram apenas 438 passageiros a menos no período de um ano.

O aumento de 2,5% no ano passado até foi modesto comparado a 2017, de 11,4%, mas representou 479.774 pessoas embarcando ou desembarcando no terminal.

Uma das principais causas para o crescimento de passageiros foi a possibilidade do Aeroporto Serafim Enoss Bertaso operar com aeronaves maiores, já que em abril a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) elevou a categoria do terminal. Além de mais passageiros em cada voo, a progressão também permite que a unidade receba novas rotas.

Jaguaruna

O terminal do Sul do Estado teve a maior queda na movimentação de passageiros entre os aeroportos catarinenses. Se em 2017 foram 146 mil pessoas passando por Jaguaruna, o número diminuiu para 135,7 mil no ano passado — queda de 7,6%.

O baixo desempenho, principalmente no primeiro semestre, é consequência da redução de voos diários, que passaram de três para dois.

Apesar da queda em 2018, o crescimento nos últimos cinco anos é expressivo. O terminal iniciou a operação em 2014 e teve os primeiros voos comerciais em 2015, ampliando rotas com o fim das atividades no aeroporto de Criciúma (que deve ser usado apenas por aviões privados e escolas de aviação). O objetivo é retomar o crescimento em 2019, com negociações receber rotas para Curitiba e Porto Alegre.

Novas estratégias para promover os atrativos de Santa Catarina

O crescimento na movimentação de passageiros nos aeroportos catarinenses em 2018 está relacionado com o aumento nas viagens para negócios e, principalmente, do turismo. A avaliação é de Valdir Walendowsky, presidente da Santur durante o ano passado e que permanece no cargo enquanto o nome de Flávia Didomenico, anunciada por Carlos Moisés em janeiro para assumir a gestão, ainda não é aprovado pelo Conselho de Administração.

Há uma movimentação turística maior, principalmente do mercado nacional, por conta de um trabalho feito com operadoras de turismo, mídia e influenciadores digitais. Isso aumenta a projeção de Santa Catarina em locais mais distantes e o uso do meio aéreo para visitar o Estado.

A ação com personalidades da internet, de acordo com Walendowsky, é uma das novidades criadas para estimular áreas específicas do turismo catarinense. A Santur cria um roteiro para definir os locais que serão divulgados e oferece suporte para a viagem do influenciador, além de acompanhá-lo durante o “passeio”. Hotelaria e restaurantes dos municípios se disponibilizam a ajudar por conta da divulgação turística do município.

Tem influenciadores que fazem um trabalho muito forte com a questão do vinho, por exemplo. Então, analisamos o segmento que queremos promover, como o vinho de altitude na Serra, e fazemos o convite. Isso dá uma movimentação de mídia muito forte e um resultado muito bom nas mídias sociais, já que são ações de marketing que custam pouco — pontua Walendowsky.

Para estimular os visitantes internacionais, o presidente da Santur afirma que é importante trabalhar em conjunto com as operadoras turísticas da América Latina, já que a maioria dos pacotes incluem viagem aérea.

Como o Estado tem buscado atrair visitantes de Chile e Colômbia, mercados ainda pouco explorados por Santa Catarina, a tendência é que o número de voos do exterior aumente nos próximos anos.

 

Fonte: nsc/Por Gabriel Lima | Foto: Betina Humeres

Nenhum comentário publicado.

Deixe um comentário